Vovô Ipê


Uma história de enorme ternura entre um menino e seu avô. Um avô que, qual árvore frondosa, oferta o regaço amoroso para as investidas lúdicas do neto brincante e imaginativo. A sombra benfazeja do avô-ipê é lugar bom, de aprendizado e graça. E, mesmo quando o avô entra num processo de esquecimentos e silêncios, avô e neto encontram um modo de se comunicar que mantém vivos o afeto e a camaradagem. Um texto delicado, que apresenta com beleza e verdade, o encontro entre dois tempos da vida: o tempo de quem já avançou existência a dentro, e o tempo de quem está iniciando a caminhada. A experiência de vida que ilumina e enriquece os encontros com o mundo, os encontros felizes e os que, por vezes, causam dor porque, como disse Ariosto, é certo que “a tristeza sempre se intromete na felicidade”. Uma narrativa emocionante que nos fala do tempo, da memória, da fragilidade da existência, da beleza dos afetos entre gerações. Eloí E. Bocheco Maio/2018

Textos Recentes
Arquivo